intolerancia-a-lactose-quais-os-sintomas-e-como-lidar-entenda.jpeg

Intolerância a lactose: quais os sintomas e como lidar? Entenda!

A intolerância à lactose é um desconforto que atinge grande parte da população. Muitas pessoas não sabem que são portadores dessa incapacidade de digerir o açúcar do leite e, apesar do frequente mal-estar, aceitam as adversidades e não procuram ajuda médica.

O corpo é um mecanismo perfeito que emite sinais quando algo não vai bem. Quando não há uma produção satisfatória da enzima lactase, atuante na digestão do leite, manteiga, queijo, iogurte e derivados, como bolo, chocolate, pães e biscoitos, surgem os sintomas que atestam a incapacidade de transformação desse açúcar em glucose e galactose.

É importante prestar atenção nas reações do organismo a fim de descobrir se você é um portador dessa enfermidade. Quer saber quais são as ocorrências mais comuns e o que fazer para lidar melhor com o problema? Continue a leitura!

Descubra os sinais da intolerância à lactose

No intervalo de 30 minutos a duas horas após a ingestão de alimentos que contenham o açúcar do leite, o corpo que não consegue fazer essa digestão começa a expressar sinais negativos.

Isso acontece porque a carência de lactase faz com que a lactose vá para o intestino grosso em moléculas inteiras, sem alterações. O material acumulado é fermentado por bactérias que produzem ácido lático e gases. Veja abaixo quais são as reações derivadas desse processo:

  • retenção hídrica;

  • dores abdominais;

  • diarreias;

  • náusea.

Saiba como lidar com o problema

A intolerância à lactose requer atenção especial na alimentação, mas restringir o consumo de leite e derivados não é a melhor escolha. Quando isso acontece, o organismo deixa de produzir a enzima lactase e o incômodo será maior quando houver a mínima ingestão de lácteos. Confira algumas boas práticas a serem implementadas.

Adote uma alimentação especial

As mudanças alimentares são inevitáveis para conviver com a intolerância à lactose. Ao diminuir a quantidade de leite, é interessante consumir outros alimentos que sejam fonte de cálcio, como brócolis, couve, espinafre e ovos.

Hoje, o mercado dispõe de uma grande variedade de produtos sem lactose ou com baixo teor. Desse modo, é bem mais fácil se adaptar à nova rotina sem renunciar a um iogurte no lanche da tarde, por exemplo.

Utilize suplementos de lactase

A suplementação de lactase é uma alternativa para os dias em que não é possível evitar um pedaço de pizza ou um sorvete. O comprimido vai colaborar na quebra da lactose e impedir o surgimento dos efeitos negativos. A lactase exógena deverá ser ingerida momentos antes das refeições que contém lácteos.

Consuma probióticos e prebióticos

As manifestações da intolerância à lactose podem ser reduzidas com o uso de probióticos e prebióticos.

Os probióticos possuem microrganismos que atuam na flora intestinal e auxiliam a produção de lactase. O kefir e a kombucha são boas opções para serem incluídas na lista. Já os prebióticos são alimentos que contém fibras, como aveia, banana, maçã e linhaça, que amenizam a indisposição provocada pelo consumo do leite.

O diagnóstico de intolerância à lactose só é confirmado por exames que medem a quantidade de lactase presente no sistema digestivo. Caso haja comprovação do distúrbio, é necessário procurar apoio médico e nutricional. Os profissionais são indicados para descobrir a quantidade de lactose que o organismo suporta e montar um cardápio equilibrado.

Essas informações foram úteis para você? Compartilhe este artigo com seus amigos nas redes sociais e ajude outras pessoas a se conscientizarem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This